Latest News - Headlines

Trechos Ressentidos

Há situações diárias que nos deixam perplexos e sem jeito nenhum para reagir, alias atitudes inesperadas, mas este trecho deixou-me pensativo e boquiaberto. Certo dia, isto é, certa noite após o regular convívio do café, eu e mais um confrade debatíamos os faits divers diários. Entretanto surgiu a ideia, por parte dele, de prolongar a nossa cavaqueira noutro ambiente mais animado. Sem decisão sobre qual seria o destino de tal aventura e qual seria a taberna que nos desse animo para estender o debate tão animado, decidimos organizar uma exploração à área envolvente da cidade. Diga-se que a exploração desse assunto logo chegou a concórdia dos dois. Tendo já sitio e ambiente só faltavam então alongar o entusiasmo dos tais animados faits divers. Como tudo que começa também acaba e a tão animada cavaqueira foi-se desvanecendo e dando lugar à uma sondagem circundante do ambiente da Taberna. Apresentava-se bastante homogeneizado, casais que teriam possivelmente decidido esvaecer um pouco, tal como grupos femininos e masculinos, em número suficiente, para alegrar um bom festim. Assim estavam as condições ideias para poder continuar a alargar e opinar sobre o nosso debate, com outras pessoas. Deixou logo de ser uma sondagem dando lugar a um entusiasmo. Entusiasmo esse, de querer partilhar a nossa conversa com elas. Passado alguns instantes o meu confrade encara-se com uma velha amizade do liceu e o tão desejado entusiasmo de partilhar o debate passou a ser uma simples miragem, dando lugar a uma conversa de recordações do liceu. Mas mesmo assim não deixei a ocasião de fitar alguns olhares e a atmosfera festiva daquela noite. E é aqui, que me vou perder nas fintas dos olhares ate me arruinar nos olhos dela. Era uma rapariga atlética, de cabelos escuros e de rosto gracioso. No grupo de amigos com quem ela estava, manifestava uma solidão, isolada da música e do ambiente que manifestava o seu grupo. Foi o suficiente para atrair a minha curiosidade e embrulhar-me no seu feitiço. Não sei quantos minutos passaram desde os primeiros olhares tímidos até à obsessão de não perder nem um segundo que fosse o seu campo de visão que me levou a crer que durante aquelas trocas de olhares se pudesse iniciar uma conversa entre nos. Ate que surgiu um olhar afincado, não consigo encontrar vocabulário para interpretar a situação, mas naquele mesmo período, a sua expressão corporal, o deslizar das mãos pelos seus cabelos deixou-me sem reacção. E nestas condições fiquei, parecia que o Mundo tinha parado, que a sua solidão me tinha contaminado e levado a uma paragem dos meus pensamentos, o meu cérebro apenas realizava as tarefas básicas. Nesse mesmo instante, saiu do seu do grupo e deslocou-se, caminhando de forma leve e pausadamente, em direcção à casa de banho com um olhar fixo e convidativo. Naquele ápice, só tinha no meu pensamento segui-la e aceitar a seu apelo, mas sem qualquer razão aparente, o meu corpo não correspondeu ao apelo, apenas segui a sua viagem ate perde-la no meu da multidão. Entretanto, fiquei a pensar no porquê, de ter adoptado aquela minha atitude, fiquei a pensar nesse meu instinto que me pregou à minha cadeira. Alguns minutos depois, ela passa por mim, toca-me, mete as mãos nos bolsos e lança-me um olhar de desaprovação e de aborrecimento. Senti-me revoltado, pelo meu instinto me ter atraiçoado, e nesse breve instante ela passa diante de mim como uma oportunidade que passa por nos e a recusamos. Seguia-a em toda o seu percurso e ansiando que me voltasse a afincar do seu olhar, mas a agonia desfez-se no momento em que ela se chega perto dele e o beija… Moralidade, A experiência é o nome que todos damos às nossas asneiras “Óscar Wilde” mas se o nosso enigmático instinto nos predispuser para não ser tão experientes, é porque já não é asneira mas sim um grande disparate.

| www.noenigma.com | All rights reserved - Copyright © 2010 - 2017

Theme images by richcano. Powered by Blogger.