Latest News - Headlines

Acidente da Air France: a secção da cauda encontrada no fundo do Atlântico

Acidente da Air France

Cauda encontrada no fundo do Atlântico


O Voo AF 447, caiu no Oceano Atlântico a Nordeste do Brasil, a 1 de junho de 2009, depois de ter atravessado por uma intensa tempestade a alta altitude. As mensagens automáticas que foram enviadas pelo Airbus 330,  indicavam falsas leituras de velocidade do ar, recolhidas pelos seus sensores.

A Secção da cauda do Voo AF 447 da Air France, foi encontrada no fundo do oceano Atlântico. 


A descoberta levantou esperanças para a recuperação das "caixas negras", que estavam localizadas na parte traseira do avião.

Acidente da Air France
Nelson Marinho, que pertence à associação das vítimas do acidente, disse que a BEA ( Bureau d'enquêtes et d'analyses ) - Gabinete de Investigação e de Análises, lhes tinha dito durante uma reunião em Paris, na segunda-feira," que a secção da cauda do avião, tinha sido encontrada e que estava relativamente intacta, sendo que as caixas-negras, estarão possivelmente ainda, em boas condições, pois  poderão estar conectadas à secção da cauda do avião".

Martine Del Bono, porta-voz do BEA pediu cautela sobre a notícia.

"Estamos trabalhando afincadamente num curto espaço tempo para ter um máximo de informação com o intuito de encontrar as caixas-negras", disse ela. "Mas ainda não sabemos, onde elas estarão, teremos de encontrá-las no local, dos destroços".


















A Honeywell, a empresa que constrõe as caixas-negras do Airbus A33O do mesmo modelo do acidente, segundo Bill Reavis o Director do"Media relations for Honeywell's Air Transport & Regional, Business and General Aviation divisions" disse que as caixas negras foram ambas aparafusadas à cauda do avião, (Esta não é uma instalação standarizada das caixas-negras nos aviões. Alguns combinam ambos os gravadores numa única unidade, enquanto outras têm duas caixas-negras uma na parte da frente do avião e outra na cauda.) O FDR - "flight data recorder- gravador de dados de vôo", do avião pode gravar vários milhares parâmetros para até 25 horas, enquanto o CVR - "cockpit voice recorder - que grava o diálogo e som ambiente na cabine do piloto", pode gravar duas horas de qualidade padrão e 30 minutos de áudio de alta qualidade. Ambas as unidades foram equipadas com balizas de localização submarina, que transmitiram a 37,5 kHz por mais de 30 dias antes do sinal desaparecer.

caixa negra
As caixas, de laranja brilhante e de aço blindado são projectadas e construidas para resistir a incêndios, explosões e impactos até 1500G (como comparação, os astronautas apenas podem suportar um mero 3G na descolagem). 

O que poderá ser um problema, porém, é a pressão. Se os destroços do Voo AF447 tenham ficado a 13.000 pés, abaixo da superfície, aproximadamente dois anos. A pressão a essa profundidade é de cerca de 400 vezes a pressão atmosférica, sendo que os Gravadores da Honeywell, apenas  foram projetacdos para suportar profundezas de 20.000 pés em 30 dias.


Aconselha-se a Leitura de : Acidente do voo AF-447 Rio-Paris, as primeiras imagens

| www.noenigma.com | All rights reserved - Copyright © 2010 - 2017

Theme images by richcano. Powered by Blogger.