Latest News - Headlines

A Evolução da Informática - Desde o Ábaco até à Internet

A Evolução da Informática - Desde o Ábaco até à Internet

O homem sempre procurou uma maneira de produzir mais com menos. 



E para satisfazer a essa exigência, ele desenvolveu máquinas capazes de optimizar determinadas actividades  que se feitas por humanos, seriam complicadas e morosas. 


No princípio o homem se utilizava de hieróglifos e pinturas em suas cavernas para expressar o seu viver. Essas e outras actividades que visavam facilitar a sua vida diária, o levou a outras grandes descobertas como o fogo, machado, roda, números entre outras que visavam inibir as suas limitações. No campo matemático podemos destacar que homem se utilizava do sistema numérico decimal, que exigia um tipo de trabalho mais aplicado e com isso mais vagaroso. Visando justamente suprir a esta necessidade que foi inventado o Ábaco por volta de -3000 A.D. 

O Ábaco é um dos mais antigos instrumentos de cálculos de que se tem conhecimento.

Ele era constituído por uma armação produzida de madeira onde eram amarrados fios com pequenas pedras calcárias denominadas Calculis. A estes eram atribuídos valores na ordem de centenas, dezenas, unidades entre outras. Os cálculos eram feitos com o deslocamento dos Calculis. Para a época isto representou uma revolução suficiente para desencadear uma verdadeira corrida rumo ao desenvolvimento de novos instrumentos de cálculo para atender a demanda. Porém ainda assim o Ábaco é ainda usado nos dias de hoje em diversos países do oriente. Pelo decorrer do tempo foram criados diversos instrumentos visando à mecanização do cálculo, algo complexo para a humanidade resolver de forma rápida. 

Mas a primeira calculadora que realizava operações básicas como adição e subtracção foi criada por Blaise Pascal no século XVII. 

Filósofo e cientista, Pascal cria aos seus dezoito anos de idade a Pascaline, constituída de um mecanismo com certo número de rodas dentadas, que tornava possível através de sucessivos giros a execução de cálculos de até oito dígitos como presente nas calculadoras comuns de hoje. Porém sua operação por ser vagarosa não apresentou nenhuma vantagem sobre o famigerado cálculo manual. Analisando a genialidade da criação de Pascal, Gottfried Leibniz projectou uma máquina bem mais sofisticada que além de executar operações de adição e subtracção também multiplicava e dividia valores. 

A máquina de Leibniz era constituída de cilindros de rodas dentadas e um complexo sistemas de engrenagens capazes de assombrar qualquer engenheiro contemporâneo. 

As primeiras máquinas comercializadas no século XIX eram baseadas nos princípios de funcionamento de sua máquina. Porém estas máquinas não podem nem de longe serem comparadas à actual tecnologia presente em nossas vidas. Elas trabalhavam basicamente combinando números nela inseridos através de alavancas e relógios, desprovidas de uma condição de armazenamento e um tipo de instrução automatizada. Porém as coisas começaram a apresentar um avanço significativo a partir da época da Revolução Industrial, quando definitivamente a ideia de substituir o trabalho humano por máquinas começou a ser implantado. 

Máquinas Matemáticas
Foi neste século que Charles Babbage deu um grande impulso ao desenvolvimento das “Máquinas Matemáticas”. 

Babbage dedicou sua vida ao projecto de tais máquinas, porém sempre se deparou com problemas, pois a complexidade mecânica que envolvia tais máquinas era excessiva para a época. Porém o seu objectivo de criar máquinas que calculassem e imprimissem foi bem sucedido, pois foi ele quem criou o conceito de uma leitora de cartões, que muito se assemelham as nossas impressoras matriciais e que tornou possível técnicas de programação que viriam a ser aplicadas no século XX. Babbage idealizou um pequeno modelo constituído por 96 rodas e 24 eixos que denominou “Máquina Diferencial”. Estimou aproximadamente 3 anos este projecto, porém à medida que ele avançava novas ideias surgiam e inutilizavam todo o trabalho anterior. Logo após a “Maquina Diferencial”, Babbage passou ao desenvolvimento da “Máquina Analítica”, que foi a primeira máquina considerada programável, capaz de executar quaisquer cálculos, ainda que através de programação externa. A máquina deveria dispor de uma memória capaz de mil números de cinquenta dígitos, comparando-os e agindo de acordo com o resultado obtido. Sua limitação se baseava no fato de que toda a informação seria armazenada em cartões perfurados, contendo programa e dados, através de arames que podiam ou não perfurar os cartões, princípio inicial da programação dos computadores electrónicos. Embora os projectos de Charles Babbage fossem revolucionários, sua complexidade era tamanha que desencadearam diversos fracassos que fizeram seu projectos permanecerem abandonados. 

Álgebra de Boole
Na mesma época o inglês George Boole, depois de estudar várias teorias matemáticas estabelece a “Lógica Formal” ou “Álgebra de Boole”.

Através desta lógica, foi permitido o estabelecimento de procedimentos que identificam se uma situação é falsa ou verdadeira através de operadores lógicos “AND”, “OR” e “NOT”, que foi de grande valia para o procedimento para o uso da técnica de programação. Outros matemáticos continuaram seus estudos após a morte de Boole, criando os sistema de numeração binária, base dos modernos computadores electrónicos  Foi nesta época que foi desenvolvida as directrizes que impulsionaram as actuais técnicas de programação (técnicas que inserem nas máquinas os procedimentos e directrizes para que elas realizem as operações). Foi Alan Turing quem criou o que hoje é à base de todas as técnicas de programação, que consistia numa forma de inserir dados nas máquinas, denominada descodificação  Concretizava-se assim a ideologia da possibilidade de uma máquina trabalhar com diversos tipos de dados diferentes, dependendo apenas dos procedimentos e directrizes que nela fossem inseridos, surgindo-se assim a máquina programável.

Os computadores surgiram inicialmente com fins militares. 

Diversos circuitos electrónicos foram utilizados no controle de naves espaciais pelos EUA. Desta forma, essa tecnologia possibilitou a exploração do espaço pelo homem e sua chegada à Lua. Na década de 60, os supercomputadores (assim conhecidos devido a sua enorme capacidade de processamento) passaram a ser utilizados em empresas de grande porte, realizando o controle financeiro e administrativo. 

Para se ter uma ideia da capacidade de processamento do primeiro computador (chamado de ENIAC), podemos compará-lo a uma calculadora de bolso. Entretanto, por ser este um computador totalmente valvulado (não existiam transístores  muito menos circuitos integrados), a energia necessária para alimentá-lo poderia iluminar uma pequena cidade. Para abrigar os seus circuitos, foi necessário fazer uso de um andar inteiro de um edifício. Na década de 70, o computador passou a ser montado com transístores  o que possibilitou uma redução no tamanho e no consumo de energia e, ao mesmo tempo, um aumento em sua capacidade de processamento. 

Por volta de 1978, uma pequena empresa americana chamada APPLE lançou o primeiro microcomputador (assim conhecido por seu tamanho reduzido e pequena capacidade de processamento).

Paralelamente, duas pequenas empresas também americanas se uniram para lançar o seu microcomputador, fazendo concorrência ao APPLE. Era a histórica união entre a INTEL (fabricante de chips para computadores) e a International Business Machine (IBM). Esse microcomputador foi denominado de Personal Computer (PC), sendo conhecido mundialmente por IBM PC XT. Nesse ponto, os microcomputadores começaram a invadir as empresas, e cada vez mais foram aperfeiçoando-se os programas. 


Documentário - A evolução do Computador



Para Ver Outros Documentários em Português clique aqui

No começo dos anos 80, um estudante americano chamado Bill Gates revolucionou o mundo dos computadores com a formação de uma empresa, a MICROSOFT, e com o lançamento do primeiro sistema operacional para os IBM PC XT, que foi denominado de Disk Operating System (DOS). 

A partir daí, tanto o hardware (os circuitos que formam o computador) como o software (os programas) evoluíram muito rapidamente. Muitas empresas surgiram de ex-funcionários da IBM e da MICROSOFT. Duas empresas que deslancharam no ramo do hardware foram a COMPAQ e a ACER. Já na área de software, surgiram a BORLAND e a LOTUS. Esta última tornou os computadores mais aplicáveis às empresas, com o lançamento da primeira planilha eletrônica, denominada de 123.

A Evolução da Informática - Desde o Ábaco até à Internet
A Internet surgiu durante a Guerra Fria. 

Foi só a União Soviética lançar o primeiro satélite espacial ( o sputnik, em 1957) e isso fez com que os americanos ficassem preocupados, com o desfasamento tecnológico. 

Assim, por volta de 1969, nos EUA, as pessoas nas Universidade e no Governo estavam a aprender a utilizar computadores com o objectivo de resolverem problemas. Usavam programas de processamento de texto muito simples para escreverem o que aprendiam e armazenavam a informação no computador, mas não existiam bibliotecas permanentemente actualizadas onde se pudesse ir ler o que outras pessoas tinham acabado de escrever e até onde se pudesse acrescentar nova informação. Assim, alguém que trabalhava para o governo dos EUA, numa organização chamada Defense Advanced Research Projects Agency, teve a ideia de ligar vários computadores através de linhas telefónicas para que pudessem "falar" uns com os outros.

Filme : Jogos de Guerra - WarGames de 1983



Desta forma foram ligados entre si, quatro computadores. A este grupo de computadores interligados, chamou-se uma rede. 

O nome da rede foi DARPANET (DARPA + NET). A rede foi uma grande ideia e desenvolveu-se rapidamente  Simplesmente designada por ARPENET esta cresceu e à medida que o tempo ia passando, incluía um número crescente de computadores. A ARPANET ligava as Universidades, bases militares e empresas que trabalhavam para a ARPA. Em 1983, os cientistas da investigação militar americana consideraram ser preferível disporem de uma rede privada própria e criaram a rede MILNET.

A ideia das redes vingou, e em 1984 uma outra instituição relacionada com administração pública nos EUA, a National Science Foundation, começou a rede NSFNET, ligando cinco supercomputadores de cinco centros de investigação e tornando a informação disponível a qualquer escola que dela necessitasse. Por supercomputadores, entende-se um computador de porte semelhante a um mainframe, com velocidade de processamento muito mais alta do que a de um computador de secretária ou de um portátil normais. É utilizado para fins científicos ou projectos militares. A NSFNET tornou-se muito popular. Como toda a gente nas escolas e na administração pública queria entrar para a rede tornou-se necessário acrescentar mais computadores e mais cabos de ligação. Simplesmente, em vez de se aumentar o número de computadores ligados à rede de supercomputadores, foram criadas outras redes e estas ligadas entre si. A todas estas redes interligadas chamou-se uma INTER – NET – NETWORK.

www
Até Outubro de 1990, a Internet encontrava-se vedada a qualquer uso de tipo Comercial, e em 1991, a pressão colocada culmina com a criação do primeiro serviço comercial da Internet. 

Com o aparecimento do PSI NET, foi possível usar a Internet para fins eminentemente comerciais. O próximo desenvolvimento com significado ocorreu em Abril de 1993, quando o protocolo WWW é colocado à disposição da rede. Com o aparecimento de ferramentas de manipulação da informação disposta em WWW, tornou-se muito mais simples o seu manuseamento, aumentando o número de aderentes à rede. Houve crescimento e difusão da Internet ao redor do mundo. Na verdade, a Internet teve o seu desenvolvimento (crescimento) quando a ARPANET foi oficialmente dissolvida, dando liberdade à democracia da informação.

A World Wide Web – também conhecida por WWW, ou simplesmente Web foi criada na Suíça pelo CERN, o Centro Europeu de Investigação Nuclear. 

Os cientistas do CERN pretendiam construir um sistema hipermédia com ligações a outros sistemas, de modo a, tornar mais fácil a utilização da Internet. Para aceder à Web é necessário fazer correr um programa browser da Web. Um browser da Web lê documentos e pode mostrar imagens. O browser da Web, pode aceder igualmente a ficheiros através de uma grande variedade de procedimentos incluindo o FTP, o MNTP, e o GOPHER.

Alguns servidores dispõem de capacidades de pesquisa, pelo que se torna possível localizar documentos e bases de dados através da pesquisa de palavras específicas. Muitos browsers Web, podem ler documentos e podem igualmente descarregá-los para os discos rígidos dos computadores de cada utilizador. Os browser Web podem aceder a ficheiros pelo FTP, ler grupos de discussão Usenet, e ligar-se a sítios Telnet. A Web é capaz de realizar tudo isto utilizando uma coisa chamada URLs – Universal Resource Locators. Os URLs são endereços para a localização de qualquer recurso Internet.

| www.noenigma.com | All rights reserved - Copyright © 2010 - 2017

Theme images by richcano. Powered by Blogger.