Latest News - Headlines

Asteróides detectados proximos da Terra/ Detected asteroids near to Earth

(Pt) Os objectos foram detectados domingo, eram pequenos, mas teriam feito estragos caso caíssem na Terra.

A NASA detectou dois pequenos asteróides com mais de dez metros que passaram ontem nas proximidades da Terra. Este tipo de evento é comum, uma vez por ano, mas dois no mesmo dia é acontecimento raro.

Um dos asteróides tinha diâmetro entre 6 e 14 metros e aproximou-se a 78 mil quilómetros do planeta. Referenciados como RF 12 2010 (o mais pequeno e que passou mais próximo) eRX 30 2010, de 9 a 19 metros e que passou a 247 mil quilómetros, qualquer dos dois asteróides teria provocado estragos caso caíssem na Terra. Para se avaliar a distância, basta dizer que a Lua está a 386 mil quilómetros e os cientistas consideram perigosas as aproximações inferiores a este valor. Os dois pequenos asteróides foram detectados domingo e o caso mostra até que ponto está desenvolvida a detecção de objectos perigosos próximos da Terra. Em caso de colisão, teria havido tempo para evacuar a zona ameaçada ou, caso ele caísse no oceano, para alertar as populações costeiras da iminência de um tsunami. Os asteróides são considerados um dos maiores perigos de extinção da espécie humana e sabe-se que já houve cinco grandes extinções no planeta nos últimos 500 milhões de anos, a mais recente há 65 milhões de anos e que condenou os dinossauros. A catástrofe terá resultado de um impacto que produziu a cratera de Chicxulub, no México.

Em 1908, em Tunguska, na Sibéria, um asteróide que se calcula de 30 a 50 metros explodiu a altitude e destruiu mais de 2 mil quilómetros quadrados de floresta.

Existe incerteza sobre a dimensão deste objecto e alguns cientistas pensam que seria mais pequeno. Caso tivesse caído numa zona habitada, o asteróide de Tunguska poderia ter destruído uma cidade.

A astronomia está preocupada com eventuais impactos de grandes asteróides. Os de 5 quilómetros de diâmetro, como o de Chicxulub, ocorrem em cada dez milhões de anos e estão referenciados. O mais perigoso parece ser Toutatis, que passou perto do planeta em 2004, mas cálculos recentes indicam que tem poucas hipóteses de constituir um problema.

A NASA tem referenciados mais de metade dos asteróides de um quilómetro e sabe-se que pelo menos um de alguma dimensão, o Apophis (com 300 metros) passará próximo da Terra a 13 de Abril de 2029. A sua trajectória posterior é uma incógnita, havendo a possibilidade de entrar em rota de colisão para 2036.

Em Março de 2009, um objecto entre 30 e 50 metros passou a 60 mil quilómetros da Terra. Uma rocha deste tamanho a cair a velocidade cem vezes superior à de um avião teria potencial para libertar energia equivalente a uma pequena bomba atómica.

O planeta esteve em relativo perigo a 7 de Janeiro de 2002, quando um asteróide de 300 metros passou a 830 mil quilómetros. Se tivesse tombado na Terra, teria feito uma cratera do tamanho de uma cidade e devastado um país de tamanho médio, provocando ainda um Inverno global de dois ou três anos.



(En) NASA has detected two small asteroids with more than ten meters that passed yesterday in the vicinity of Earth. This type of event is common, once a year, but two on the same day is rare event.


One of the asteroid had a diameter of between 6 and 14 meters and close to 78 thousand kilometers of the planet. Referred to as RF December 2010 (the smallest and now closer) 30 ERX 2010, 9-19 meters and has 247 000 miles, whichever of the two asteroids would have caused damage if falling on Earth. To evaluate the distance, just say that the moon is 386,000 kilometers, and scientists consider dangerous approaches below this value. The two small asteroids were discovered Sunday and the case shows to what extent is developed to detect dangerous objects near the Earth. In a collision, there was time to evacuate the threatened area, or if he fell in the ocean, to alert coastal residents of an impending tsunami. Asteroids are considered the greatest danger of extinction of the human species and it is known that there have been five major extinctions on Earth over the past 500 million years, most recently for 65 million years and which condemned the dinosaurs. The disaster will result from an impact that produced the Chicxulub crater in Mexico.


In 1908, at Tunguska, Siberia, an asteroid that calculates 30 to 50 meters altitude exploded and destroyed more than 2000 square kilometers of forest.


There is uncertainty about the extent of this subject and some scientists think that would be smaller. If it had fallen into a populated area, the Tunguska asteroid could have destroyed a city.


Astronomy is concerned with possible impacts of large asteroids. The 5-mile diameter, like Chicxulub, occur in every ten million years and are referenced. The most dangerous seems Toutatis, which passed near the planet in 2004, but recent estimates indicate that is unlikely to be a problem.


NASA has referred more than half of the asteroids a kilometer and it is known that at least one of some size, Apophis (300 meters) will pass close to Earth on April 13, 2029. Its subsequent trajectory is uncertain with the possibility of entering into a collision course for 2036.


In March 2009, an object between 30 and 50 meters has 60 000 kilometers from Earth. A rock of this size to fall to one hundred times the speed of an airplane would have the potential to release energy equivalent to a small atomic bomb.


The planet was in danger on January 7, 2002, when an asteroid of 300 meters has 830 000 kilometers. If it had fallen on earth, would have made a crater the size of a city and devastated a medium sized country, forcing even a global winter two or three years.

Source : DN Ciência

| www.noenigma.com | All rights reserved - Copyright © 2010 - 2017

Theme images by richcano. Powered by Blogger.